Despedida: “- A gente precisa terminar.”

Meu Deus, nunca imaginei que isso fosse tão difícil, eu já refiz essa cena na minha cabeça tantas vezes, por que pareceu que ficou mais complicado? Se tu soubesse o quão covarde é tu me olhar desse jeito, esse olhar apaixonado, esse teu jeito bobo de me fazer rir quando eu não quero, de saber quando eu tô mal, sem que eu diga uma única palavra, mas eu preciso fazer. Continuar lendo Despedida: “- A gente precisa terminar.”

Despedida: “- Tudo bem.”

Ah, se tu soubesses o quão injusto foi teu pedido. Não, foi mais uma sentença, veio do nada, transformou meus planos em nada e, do nada, sumiu com o chão abaixo dos meus pés. Eu esperava que isso fosse acontecer, não estávamos bem havia um bom tempo, o teu sorriso não tinha a mesma cor de antes, o calor dos nossos corpos não era o … Continuar lendo Despedida: “- Tudo bem.”

O des(canto) do (sonh)ar

por Azevedo Netto De tanto beber da realidade, nos embriagamos com a dor. De tanto sofrer por realidade, nos afligimos sem pudor. De tanto lutar por algo, naufragamos sem rumor. De tanto sofrermos por sonhos, saciamos com o amor. Um amor tão passageiro que escorre pelas mãos. Como os ventos envaidecidos que vislumbram o horizonte da imensidão. E assim, eis que surge a sina, e … Continuar lendo O des(canto) do (sonh)ar