O passado

Às vezes me procuro e já não me encontro mais.Tento recorrer ao passado, mas sou bloqueado pelo agora.Busco me reconectar ao que também foi belo.Então, percebo que não existe mais. Não guardei!Não arquivei!Não memorizei!Não zelei! Porém, sei que foi vivido.Pois, ainda sinto o cheiro da nossa parede de barro.O pote secava, mas logo era cheio de novo.Nossa mesa era grande: chão da cozinha. Aonde vim … Continuar lendo O passado

Não-oração

Sobra tudo aquilo que ainda falta  Temperado pela lágrima contida  Num estado de timidez Enfrentei O final que eu não quis Mercúrio não adiantou Vênus e Marte colidiram Aos astros Peço para que não retornes Porque mudei de caminho Eu não oro por uma direção Esperei Como se o momento certo existisse Tentei nomear  Quando outrora não era classificável Fui avisada Uma caixa de pandora … Continuar lendo Não-oração

Pode beijar

Beije – me,Pode beijar…Não um daqueles beijos fúnebresde lábios tremidos, boca seca,sem entrega… Não quero um desses beijos nervosos,roubados, sem emoção oucontidos. Não desejo beijos vagos,sem volúpia ou êxtases.Se queres me beijar?Beije-me,Pode beijar-me… Mas preciso de um beijo daqueles novelescoscom mordidelas, paixão e afagos.Um beijo ardente,escandalizador, sem moralidades,libidinoso por si só…cheio de décimas terceiras intenções. Quero um beijo molhado,de despedida,mas não como se fosse o … Continuar lendo Pode beijar

Strigiformes

À João Lucas de Andrade Inerte,Camuflado e altivo,Paíra como um vulto num troco de uma árvore morta,Produzindo horripilante vocalização fúnebre,Fazendo empalidecer os mais corajosos aventureirosnoturnos.No que ouço dizer:– Se sobrevoar o telhado da casa é certeza alguém morrer! Corpo falcanóide,Cabeça redonda,Guardião dos cemitérios.Alerta do mundo das almas?É preparação para mudanças futuras.Transformação.– Anuncia a chegada de má sorte, agouro! Sobrancelhas brancas,Olhos amarelados,Sua astúcia revela o que … Continuar lendo Strigiformes