Parar no sinal amarelo: prestar atenção

Por: “ Thátyla Lourenço“ São tempos de aceleração, Quanto mais rápido melhor. O prestar atenção se tornou escasso, Os encontros são rápidos, As despedidas também. Mas é preciso lutar contra a correria, Aproveitar os dias, A companhia da família, Dos amigos, Do amor. Compreender o pôr do sol como um lembrete, Ele descansa e eu também posso. Parar no sinal amarelo, Prestar atenção, Descansar, Aproveitar, … Continuar lendo Parar no sinal amarelo: prestar atenção

O des(canto) do (sonh)ar

por Azevedo Netto De tanto beber da realidade, nos embriagamos com a dor. De tanto sofrer por realidade, nos afligimos sem pudor. De tanto lutar por algo, naufragamos sem rumor. De tanto sofrermos por sonhos, saciamos com o amor. Um amor tão passageiro que escorre pelas mãos. Como os ventos envaidecidos que vislumbram o horizonte da imensidão. E assim, eis que surge a sina, e … Continuar lendo O des(canto) do (sonh)ar

O fim, é, mesmo, o fim?

por Elian G. Encerrar um ciclo é sempre algo bem complicado, porque, às vezes, parece que não acabou. A gente idealiza, pressupõe, tem esperança, enxerga coisas que não estão ali, para que, no fundo, não tenha que acabar. Sempre falam: “Faça algo diferente; aprenda algo novo; seja você mesmo; sua companhia é a melhor que você poderia querer.” Mas, depois que vem alguém e pinta … Continuar lendo O fim, é, mesmo, o fim?

SUBMISSÕES

Quer publicar seu conto, poesia, ficção relâmpago ou crônica conosco?! Envie um e-mail com seu arquivo ou acesse o formulário seguindo as seguintes recomendações: 1º Seu arquivo deve estar no formato doc/word; 2º Seu conto deve ter entre 1.000 (mil) e 3.000 (três mil) palavras; 3º Sua crônica deve ter no máximo 2 (duas) páginas; 4º Sua ficção relâmpago deve ter entre 300 (trezentas) e … Continuar lendo SUBMISSÕES