Prometi que jamais ia falar de nós

Em uma manhã normal de uma terça-feira, senti seu cheiro, lembrei como você fazia falta. Fiquei ofegante por alguns minutos imaginando suas mãos tocando as minhas, é inverno em sua cidade e verão na minha, totalmente oposto quando nos conhecemos. Parece que foi descuido, por deixarmos soltos nossos sentimentos e assim sumir de vez. Apesar que aqui dentro ainda provoca umas pontadas, e juro que … Continuar lendo Prometi que jamais ia falar de nós

QUANDO PRECISEI DIZER ADEUS

Caminhei longos períodos entre a solidão e o teu amor. Perdi os olhares, as camisetas, a necessidade dos seus toques. Sempre quis gritar ao mundo sobre o que sentia, mas imaginava que ninguém entenderia. Pois parecia tão certo está em seus braços, compartilhar as mágoas, dividir a macarronada. Coloquei em replay durante algumas horas “Saudade” do Camelo. Te confesso, a única saudade que bateu foi … Continuar lendo QUANDO PRECISEI DIZER ADEUS

Muito verbo, para pouco texto!

“Não contarei como foi realmente, mas como lembro. As lacunas são as partes que não seria necessário contar, ou a parte que deixarei escondida dentro só de mim.“ A confusão bateu na minha porta em um dia ensolarado, quente como de costume como a maioria dos dias. Curiosa, com cautela, olhei dos pés à cabeça, me senti a vontade de começar uma amizade. Na verdade, … Continuar lendo Muito verbo, para pouco texto!