Não-oração

Sobra tudo aquilo que ainda falta  Temperado pela lágrima contida  Num estado de timidez Enfrentei O final que eu não quis Mercúrio não adiantou Vênus e Marte colidiram Aos astros Peço para que não retornes Porque mudei de caminho Eu não oro por uma direção Esperei Como se o momento certo existisse Tentei nomear  Quando outrora não era classificável Fui avisada Uma caixa de pandora … Continuar lendo Não-oração

Eu comigo

Confesso não me arrepender de cada escolha feita até aqui. Gosto de pensar que estou no meu melhor momento, que estou conhecendo o melhor de mim. Tive fases ruins demais para lembrar, o alcoolismo, a depressão, a ansiedade… Por meses foram meus companheiros fiéis, teria eu tornado-me o próprio conflito? Precisei descer a escada no escuro, sem saber onde exatamente eu deveria pisar. O ruído … Continuar lendo Eu comigo

Morgana e o enigma da caixa

Todas as vezes que eu me sinto confusa, corro para o parque e sento no último banquinho de concreto, é o mais isolado e dá uma bela visão para o restante do espaço. Daqui a três dias completarei dezoito anos, e o roteiro que imaginei durante toda a minha vida encerrava aos dezessete. Minha melhor amiga, a Laura, diz que é normal ficar apreensiva mas … Continuar lendo Morgana e o enigma da caixa

Para quem cuida de mim

Observava meticulosamente cada gesto, procurando identificar a intenção. Sentada na mesa da cozinha, acompanhava o vai e vem, os diálogos iam de comentários sobre a rádio, que dava a casa o ar de movimentação, e as notícias do dia. Comecei a analisar automaticamente, parecia programado, ensaiado… O que significava tudo aquilo? Por que tanto cuidado? Para quê tantos detalhes? Enquanto pegava o pão para passar … Continuar lendo Para quem cuida de mim

CAFUNDÓ É UM LUGAR

Enquanto terminava de encher o tanque do caminhão no posto de gasolina na saída da cidade de Quintura, Fulana cochilava sentada ao lado da carga à espera de seu pai, que tinha saído para comprar água. Escutando passos firmes e ainda consciente, a menina entra em alerta e prepara-se para se defender, caso precise, como Sicrano a ensinou. Era perigoso ser menina, era perigoso acompanhar … Continuar lendo CAFUNDÓ É UM LUGAR

A filha que eu fui

Eram sete horas da noite de sexta-feira, eu estava em meu quarto esperando que mamãe chamasse para o jantar, o que era estranho já que tudo sempre ficava pronto às seis. Resolvi ir até a cozinha, escutando a voz alterada de papai enquanto gritava com a mulher baixinha que ele costumava abraçar. Mas isso foi há muito tempo, tempo que eles não lembram mais.  Eu … Continuar lendo A filha que eu fui

Ao amor da minha vida passada

Entrando num estado de consciência e inconsistência entreguei-me a sensação de estar situada no alto de uma colina. Inspirando o ar gélido e retribuindo-o com o calor de meus pensamentos, retornei ao momento em que te olhava penetrantemente nos olhos esperando que entendesse meu pedido, que atendesse a meu chamado… Eu queria ser sua. O que não compreendia e talvez nem cogitasse, era que para … Continuar lendo Ao amor da minha vida passada

Liminar-idade

De quem éEssa voz que mandaTodo dia reclamaCobra e consola a ex-menina CaiuMachucouDoeu e sentiu depoisAnos mais tarde Não segurouEntão já foiFechar os olhos não adiantouSó a música não serviu Ainda choraComo o bebê que foiEsconde como quem quer serEsqueceu de abafar o pranto EsperneouNo mercadinho da outra ruaA mãe não comprou o que queriaO primeiro amor não correspondeu SufocouPelo não espaço que ocupaLugar não … Continuar lendo Liminar-idade

Estou em casa agora

Exatamente às 22:00 horas, na tentativa de controlar os horários dos sonos perdidos, resolveu deitar. Acreditava viver em um loop temporal infinito, sua mente não distinguia mais o Sol e a Lua, o corpo fraco quase desmontando doía com simples movimentos. Às 2:00 horas abriu os olhos com o barulho de seu cérebro, parecia acordar de um pesadelo, sentia frio mas suava, viu a necessidade … Continuar lendo Estou em casa agora