Prelúdio Feminino

Por Jéssica Bezerra

Eu gosto de me esconder nos cantos. Me fazer pequena para que ninguém me veja.
A carne flamejante, em tiras ensanguentadas de violência preambular.

Introdutória.

Foi exatamente o que aconteceu.

Nós todas sabemos bem a história.

Eu me lembro
Ansiedade
Violência
Ilusão

Tríplice da resistência.

Eu nunca disse que era saudável.
Você estava prestando atenção?

Expectante
Mas não atenta

Implorando pelo sono profundo, pacífico, ligeiro.
No entanto, a célere necessidade da exportação do ser me compele a este.

Não me refiro à classificação desta arenga imprecisa e sonolenta.
Não se faz necessária ao meio.

Será que algum dia recordarei a inocência?

Desde sempre, tudo o que me lembro é sua ausência.


Amanhã sai a segunda poesia de Jéssica, aceita por meio de submissão para a coluna.

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s